Patentes Prioritária, Patente Verde.

  • por Unika marcas
  • 29 jun, 2017

Previlégio prioritário para patentes verdes.

registro de patente
Previlégio de Patentes Verdes

O INPI  prevê a participação de uma invenção no programa Patente Verde quando  são cumpridos alguns pré-requisitos. Este programa de exame prioritário  foi criado com o intuito de agilizar inventos relacionados ao Meio  Ambiente, que tragam redução da poluição e promovam consumo racional dos  recursos naturais no País.

Mas qual a vantagem de registro de patente como Patente Verde?

A  grande vantagem está no tempo bastante reduzido entre a data de  depósito do pedido de patente e seu deferimento (caso cumpridos os  pré-requisitos de patenteabilidade). Isto ocorre pois é dado prioridade  frente aos demais pedidos de patente com o trâmite normal, ou seja, as  Patentes Verdes “pulam a fila” no INPI podendo ser deferidas em um ano  após a data do depósito (contra em média 7 a 8 anos dos pedidos que  tramitam sem esta classificação).

Exemplo de invenções aptas à adesão ao programa são:

Tecnologias para reciclagem de materiais reutilizáveis, motores elétricos que substituem os atuais a combustão, etc.

Porém,  é importante estar ciente que, para que a invenção esteja apta a  participar do programa de Patentes Verdes, sua matéria deve estar dentro  de uma das 5 grandes áreas: Energias Alternativas, Transportes, Conservação de Energia, Gerenciamento de Energia e Agricultura Sustentável.  Também deve cumprir os seguintes pré-requisitos: Não ter passado por  exame técnico. Ter máximo 15 reivindicações (sendo no máximo três delas  independentes). Reivindicar matéria relacionada ao Meio Ambiente listada  na resolução nº 175, de 05 de novembro de 2016 do INPI.Esta é uma  importante iniciativa à tecnologias amigáveis ao meio ambiente e grande  oportunidade para inventores agilizarem o deferimento de seus inventos.  Qualquer dúvida quanto ao programa e o passo-a-passo do depósito, entre  em contato conosco, Unika Marcas e Patentes protegendo a sua Propriedade Industrial.

 

Unika Marcas e Patentes

por Unika marcas 10 out, 2017

Uma empresa não vale apenas o que vende. A marca é parte integrante do valor; por isso, o seu registro é essencial. Ele garante que ninguém roube a “identidade” do seu negócio.

 

 

O QUE É MARCA?

 

A marca de uma empresa é o sinal gráfico que distingue e identifica seus produtos e serviços. Normalmente, a marca vem acompanhada de normas e especificações técnicas que definem a forma como deve ser utilizada em diversos contextos.

Ela é o elo entre você e o cliente e é por meio dela que as pessoas identificam sua empresa. A marca pode ser explorada de diversas formas, ampliando o reconhecimento e a aceitação do seu negócio pelo público. Com o tempo, passa a ser entendida como o referencial da qualidade de seus produtos ou serviços.

 

POR QUE VOCÊ DEVE REGISTRAR A MARCA?

 

Registrar a marca significa proteger o seu patrimônio empresarial. A marca é um dos mais importantes ativos de uma empresa.

O registro garante o direito de propriedade industrial e evita o uso indevido da marca pela concorrência.

Alguns benefícios do registro de marcas:

➔ Proteção contra atos de concorrência desleal.

➔ Direito de impedir e notificar o uso da marca sem a devida autorização.

➔ Zelo pela integridade material e pela reputação de seu patrimônio.

➔ Geração de receita através de licenciamento, franquia ou venda da marca.

➔ Viabilização do licenciamento da marca, gerando receita por pagamento de royalties.

➔ Oportunidade de ser reconhecido pelo consumidor.

➔ Garantia de seu uso em material de divulgação sem o perigo de perder todo o investimento.

A marca pode ser vendida, assim como o mobiliário de um escritório, por exemplo.

Entretanto, determinar o seu valor não é tão simples, já que ele não é tangível. Confira neste post como mensurar uma marca.

 

COMO FAZER O REGISTRO DE MARCA?

 

A requisição do registro é feita pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). O pedido por si só não confere a exclusividade sobre o uso da marca, mas quem o faz primeiro tem prioridade.

Tanto pessoas físicas quanto jurídicas podem registrar a marca, contanto que esteja realizando uma atividade legalizada e efetiva.

Você deve procurar o INPI, fazer o pedido e aguardar o exame que será feito de acordo com a Lei de Propriedade Industrial e demais resoluções administrativas do órgão.

Assim que sair o registro, sua marca estará resguardada em todo o território nacional e pode também ser registrada em mais 137 países, de acordo com a Convenção da União de Paris de 1883 (CUP).

Seu produto, serviço ou modelo de negócios inovador estará, então, assegurado legalmente e você poderá usufruir dos benefícios gerados por sua invenção. Confira o passo a passo para registrar a sua marca:

 

1 – PEDIDO DE REGISTRO

Nesta fase, sua marca passa por uma análise das formalidades requisitadas. A comissão vai avaliar se o pedido está com as etiquetas e os requerimentos preenchidos e se o pagamento foi realizado.

Assim que tudo for confirmado, seu pedido está apto a ser publicado na Revista da Propriedade industrial.   Qualquer pessoa pode se opor ao registro em até 60 dias, caso necessário.

No próprio site do INPI, você pode acessar as instruções para solicitar o registro.

 

2 – DEFERIMENTO

 

Após o prazo de 60 dias, se não houver oposição, o INPI toma e divulga a decisão, deferindo ou indeferindo o pedido de registro.

É aqui que você deve pagar a contribuição relativa ao primeiro decênio (período de dez anos) de proteção da marca. É um investimento, mas necessário. Sem pagar essa taxa, seu pedido é arquivado.

 

3 – CONCESSÃO DO CERTIFICADO DO REGISTRO

 

O certificado de registro fica à disposição do titular na representação do INPI (ou aos cuidados de procurador) por até 60 dias. Assim que a decisão do INPI for publicada, começa o marco inicial da vigência do registro (dez anos).

 

QUAIS SÃO OS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA REALIZAR O REGISTRO DE MARCA?

 

Para realizar os passos destacados acima, você precisará dos seguintes documentos:

➔ Guia de recolhimento, (GRU) obtifda no site após o cadastro do serviço a realizar.

➔ Pedido de registro de marca no site do INPI.

➔ Logotipo caso deseje depositar, pode fazer o depósito do nome e da logomarca em somente um registro, o misto.

Se for empresa Ltda., o requerente deverá apresentar cópia e original ou autenticar cópia de:

➔ Contrato social

➔ CNPJ

Se for firma empresário (antiga firma individual), o requerente deverá apresentar cópia e original ou autenticar cópia de:

➔ Declaração de firma empresário

➔ CNPJ

Se for profissional autônomo, o requerente deverá apresentar cópia e original ou autenticar cópia de:

➔ Inscrição no ISS

➔ Carteira de identidade

➔ CPF

 

A descrição detalhada de todo o processo e os valores para o registro de marcas você pode encontrar no site do INPI.

Não se esqueça, contrate um profissional habilitado para realizar esse serviço caso não tenha o conhecimento necessário,

 É a sua marca que está em domínio público, Registre sua Marca, acompanhamos e protegemos sua marca, nossa equipe está a sua disposição.

 

Se precisar de assessoria especializada contate com a gente.

Lembre-se de que realizar um registro de marca é diferente de formalizar uma empresa.

por Unika marcas 04 jul, 2017

O Projeto Piloto Patentes MPE é uma modalidade de exame prioritário. Os pedidos de patente aptos a participar são aqueles cujo depositante é uma Micro Empresa (ME) ou uma Empresa de Pequeno Porte (EPP), conforme definido no art. 3º da Lei Complementar nº 123, de 14/12/2006.

O Projeto tem duas finalidades. A primeira consiste em facilitar a inserção de produtos e serviços inovadores desenvolvidos pelas MEs e EPPs no mercado brasileiro. A segunda relaciona-se a mitigar os efeitos negativos do atraso do INPI na decisão de pedidos de patente para este nicho específico de depositantes.

A fase I do Projeto iniciou em 23 de fevereiro de 2016 e foi encerrada 1 ano depois. Sendo assim, o INPI institui a fase II do Projeto por intermédio da Resolução INPI PR nº 181, de 21 de fevereiro de 2017, publicada na RPI 2408, de 01 de março de 2017. A resolução elaborada para esta fase do Projeto Piloto Patente MPE traz algumas modificações, destacando-se:

  1. Requerimento exclusivamente por formulário eletrônico;

  2. Exclusão de pedidos de patente examinados por divisões técnicas que apresentem número elevado de requerimentos de exame prioritário em relação a suas decisões, em especial da Engenharia Mecânica;

  3. Participação de até 150 pedidos de patente.

 

Para mais detalhes:

Resolução INPI PR nº 181/2017
Guia do Usuário
FAQ (em elaboração)

 

 

por Unika marcas 29 jun, 2017

O INPI  prevê a participação de uma invenção no programa Patente Verde quando  são cumpridos alguns pré-requisitos. Este programa de exame prioritário  foi criado com o intuito de agilizar inventos relacionados ao Meio  Ambiente, que tragam redução da poluição e promovam consumo racional dos  recursos naturais no País.

Mas qual a vantagem de registro de patente como Patente Verde?

A  grande vantagem está no tempo bastante reduzido entre a data de  depósito do pedido de patente e seu deferimento (caso cumpridos os  pré-requisitos de patenteabilidade). Isto ocorre pois é dado prioridade  frente aos demais pedidos de patente com o trâmite normal, ou seja, as  Patentes Verdes “pulam a fila” no INPI podendo ser deferidas em um ano  após a data do depósito (contra em média 7 a 8 anos dos pedidos que  tramitam sem esta classificação).

Exemplo de invenções aptas à adesão ao programa são:

Tecnologias para reciclagem de materiais reutilizáveis, motores elétricos que substituem os atuais a combustão, etc.

Porém,  é importante estar ciente que, para que a invenção esteja apta a  participar do programa de Patentes Verdes, sua matéria deve estar dentro  de uma das 5 grandes áreas: Energias Alternativas, Transportes, Conservação de Energia, Gerenciamento de Energia e Agricultura Sustentável.  Também deve cumprir os seguintes pré-requisitos: Não ter passado por  exame técnico. Ter máximo 15 reivindicações (sendo no máximo três delas  independentes). Reivindicar matéria relacionada ao Meio Ambiente listada  na resolução nº 175, de 05 de novembro de 2016 do INPI.Esta é uma  importante iniciativa à tecnologias amigáveis ao meio ambiente e grande  oportunidade para inventores agilizarem o deferimento de seus inventos.  Qualquer dúvida quanto ao programa e o passo-a-passo do depósito, entre  em contato conosco, Unika Marcas e Patentes protegendo a sua Propriedade Industrial.

 

por Unika marcas 12 abr, 2017

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) fecharam parceria para melhorar o acesso dos pequenos negócios à proteção de seus principais ativos intangíveis, como marca, design de embalagens e produtos, programas de computador e patentes de tecnologia.

 

O acordo foi assinado nesta quinta-feira (10/03), na Associação Comercial do Rio de Janeiro, com o objetivo de ampliar a competitividade do setor.


O presidente do Inpi, Luiz Otávio Pimentel, disse que a proteção dos ativos intangíveis vem subindo no Brasil, mas não na medida do crescimento dos pequenos negócios.

 

“Para o microempresário que cada vez mais é organizado e para a empresa de base tecnológica é importante conhecer a possibilidade de ter os bens intangíveis protegidos, porque isso beneficia bastante esse setor”.

Pimentel destacou que o acordo firmado com o Sebrae dá início a um movimento de conscientização dos micro e pequenos empresários para que sejam estimulados a registrar as suas marcas, conheçam os procedimentos de registro no Inpi e busquem sinais que possam distingui-los de outros no mercado.
 
Guilherme Afif Domingos, disse que o acordo vai derrubar o mito de que patente é uma coisa complicada e que leva o pequeno empresário a preferir correr riscos desnecessários.

“Agora nós estamos quebrando esse mito por meio de um processo de simplificação para microempreendedor individual (MEI), microempresa e empresas de pequeno porte junto ao Inpi, com a revisão de todos os procedimentos internos, para que nós tenhamos um processo célere de aprovação de marcas e patentes”, disse Afif.

 

Segundo a assessoria de imprensa do Inpi, os pedidos de patentes de Microempreendedores Individuais (MEIs), microempresas e empresas de pequeno porte representaram 11% do total de depósitos (33.043) feitos no ano passado, mostrando expansão de 8,7% em comparação ao ano anterior.

Já os 64 mil pedidos para registro de marcas de pequenos negócios corresponderam a quase metade das 158.709 solicitações efetuadas em 2015.

 

por Unika marcas 23 nov, 2016

Toca o telefone. O usuário é “avisado” de que está prestes a perder sua marca e “precisa” pagar uma taxa. Em outra situação, um pequeno empresário recebe inesperadamente um boleto falso em nome do INPI para ser pago e, assim, garantir o registro da marca antes que outra empresa o faça. Esses são casos reais de abordagem indevida em nome do Instituto. Para combater fraudes como essas, o INPI e a Polícia Federal (PF) farão uma parceria, cujo documento está em análise formal na PF para ser assinado.

 

O acordo foi discutido em reunião no dia 15 de fevereiro, em Brasília, entre o presidente do INPI, Luiz Otávio Pimentel, o Ouvidor do Instituto, Marcos Jaron, e o chefe de gabinete da PF, Fabrício Schommer Kerber. Porém, ficou decidido que, desde já, o INPI enviará as denúncias à Superintendência da PF no Rio de Janeiro para investigação ou para encaminhá-las a outros estados, quando for o caso.

 

Pela proposta de documento, que será válido em todo o território nacional, o INPI se responsabilizará por comunicar as denúncias à Polícia Federal, que, por sua vez, executará operações especiais e investigativas de prevenção e repressão a delitos usando o nome e a imagem do Instituto.

 

Será desenvolvido um plano de trabalho para estabelecer as medidas a serem adotadas e para elaborar levantamentos estatísticos que facilitem a identificação, prevenção e repressão das práticas fraudulentas.

 

Também estão previstas campanhas educativas quanto ao uso do sistema de propriedade industrial e capacitação de pessoal das duas instituições para lidar com o tema.

 

Só em 2016, o INPI recebeu 496 denúncias de abordagem indevida. Em janeiro e fevereiro deste ano, 50 contatos foram registrados.

 

O INPI não telefona, nem envia boleto ou e-mail para os usuários. Quem receber contatos desse tipo, está sendo vítima de fraude. Os casos devem ser denunciados por meio da Ouvidoria do Instituto.

 

por Unika marcas 22 fev, 2016

Os grupos musicais que desejam ter a propriedade do nome e/ou da marca que utilizam devem requerer o seu registro no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial). O representante da banda (pessoa física) deve comparecer ao instituto munido de CPF e de algum outro documento que comprove o exercício da profissão de músico (carteira da OMB ou do Sindicato ou a autonomia do INSS). Se o representante for pessoa jurídica, deverá levar Contrato Social e CNPJ. Devem ser apresentados documentos originais e cópias autenticadas. A marca passa a ser propriedade do requerente. Se todos os integrantes da banda quiserem ter a propriedade do nome, deverão fazer um contrato particular e registrá-lo em cartório.

Instituto Nacional de Propriedade Industrial
Praça Mauá, 7 - Térreo - Centro
Rio de Janeiro / RJ - CEP 20081-240
Tel (21) 2139-3000 

REGISTRO DE MÚSICA

Registro é garantia para os autores
A Lei do Direito Autoral (9.610/98) protege as obras intelectuais, também chamadas de "obras do espírito", feitas por qualquer meio, independentemente de registro, seguindo o previsto na Convenção de Berna, tratado que estabelece as diretrizes internacionais para os direitos autorais.

No entanto, é melhor registrar a obra para ter mais segurança diante da possibilidade de outras pessoas virem a alterar, reproduzir ou comercializá-la.

Obras literárias e músicas, assim como desenhos, websites e outros trabalhos que sejam impressos podem ser registrados na Fundação Biblioteca Nacional. Na Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro apenas músicas são registradas.

É importante saber que essas instituições não têm a responsabilidade de investigar a autoria da obra e atuam de acordo com o princípio de que o solicitante do registro fala a verdade quando diz que é o autor. Por isso a obra deve ser registrada o mais rápido possível, para evitar que outros que tiverem acesso a ela o façam e seja necessário discutir na Justiça a autoria.

Nesta edição do Especial Cidadania, você confere como registrar músicas e obras literárias para proteger seus direitos.

Trabalhos protegidos pelo direito autoral

- Textos literários, artísticos, científicos, didáticos, pedagógicos e religiosos.
- Revistas, jornais, periódicos.
- Conferências, discursos, sermões.
- Texto de peças de teatro, roteiros de cinema e de TV.
- Músicas, com ou sem letra.
- Adaptações, traduções e outras transformações de obras originais, apresentadas como criação intelectual nova.
- Coletâneas, antologias, enciclopédias, dicionários, bases de dados e outras obras, que, por sua seleção ou organização, constituam criação intelectual.

O direito autoral não protege as idéias de forma isolada, e sim a obra que expressa essas idéias. Assim, o autor do livro tem direitos sobre o livro em si, mas não sobre as idéias expressas nele.

Além das idéias, não são protegidos: procedimentos normativos, sistemas, métodos, projetos e conceitos matemáticos, como esquemas para realizar atos mentais, jogos ou negócios; formulários; textos de tratados, convenções, leis, decretos, decisões judiciais e atos oficiais; calendários, agendas, cadastros; nomes e títulos isolados.

Saiba, passo a passo, como obter o certificado
Veja os procedimentos para registrar obras literárias e músicas

1. Obras e músicas na Biblioteca Nacional

- Imprima uma cópia legível da obra, numere as páginas, rubrique cada uma delas e encaderne (guarde com você o original).
- Imprima o formulário de requerimento oferecido na página da Biblioteca Nacional  ou pegue um na sede da biblioteca ou nas suas representações estaduais (ver endereços).
- Preencha em letra de fôrma com cuidado, coloque a data e assine igual à sua assinatura na carteira de identidade. Em caso de mais de um autor, todos os co-autores devem rubricar as páginas e assinar o requerimento.
- Pague a taxa relativa ao seu pedido e obtenha o comprovante de pagamento.
- Faça uma cópia da sua identidade e do seu CPF.
- Envie tudo para: Rua da Imprensa, 16 - 12º andar, sala 1.205, Castelo - Rio de Janeiro (RJ) - CEP 20030-120.

- Músicas - Não esqueça de colocar na capa da encadernação um título para o conjunto de letras que quer registrar e um índice relacionando os títulos das letras. Já para registrar partituras, deve ser feito um pedido separado para cada uma. Assim, se deseja registrar uma partitura de uma música com letra, deve enviar dois pedidos: um para a partitura, outro para a letra.

- Websites - Apenas a disposição dos elementos e a aparência dos sites são protegidos pelos direitos autorais. Os programas, a parte lógica do site, são propriedade industrial e devem ser registrados no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi). Imprima, encaderne e envie as páginas do site para registro exatamente como as letras de música. Lembre-se que o conteúdo, como artigos, conferências, pesquisas, poesias etc. devem ser registrados separadamente.

2. Músicas na Escola de Música da UFRJ

- Imprima o formulário de requerimento oferecido no site da Escola de Música. Preencha em uma via
- Anexe cópia da letra e da partitura assinadas pelo(s) compositor(es). Todos devem assinar na partitura, letra e requerimento com assinatura original.
- Junte o comprovante de pagamento da taxa de R$ 15 para cada música (depósito na conta corrente 28826-8 da agência 2234-9 do Banco do Brasil)
- Entregue ou envie tudo para a Escola de Música da UFRJ (veja endereço abaixo). A instituição envia o certificado pelo correio. Após o registro será expedido um certificado para cada compositor.
- Caso more ou precise fazer o procedimento de outro estado ou cidade, será preciso mandar o registro por correspondência. Via sedex ou carta registrada

- Menores de idade podem fazer o registro normalmente, desde que junto do formulário, letra e partitura também haja a assinatura do responsável legal. Trazer também cópia da identidade e CPF.

Criador tem direito moral e patrimonial sobre sua obra

A lei assegura ao autor de trabalhos intelectuais e artísticos duas espécies de direitos. Veja abaixo.

Morais

a) reivindicar, a qualquer tempo, a autoria da obra;
b) ter seu nome ou pseudônimo indicado como sendo o do autor, na reprodução ou utilização de sua obra;
c) conservar a obra inédita;
d) assegurar a integridade da obra, opondo-se a quaisquer modificações;
e) modificar a obra, antes ou depois de publicada;
f) retirar de circulação a obra ou suspender uso já autorizado, se isso implicar afronta à sua reputação e imagem.

Os direitos morais são inalienáveis e irrenunciáveis, ou seja, não podem ser transferidos para outra pessoa mesmo que o autor queira. Em caso de morte, os direitos relacionados nos itens de "a" a "d" passam aos herdeiros, sem prazo de prescrição.

Patrimoniais

Os direitos patrimoniais do autor passam aos herdeiros e perduram por 70 anos, contados de 1° de janeiro do ano seguinte ao da sua morte, e podem ser transferidos/vendidos a outra pessoa, o chamado titular de direitos, que não pode aparecer como autor (direito moral intransferível). São direitos patrimoniais:

- usufruir e dispor da obra, autorizando ou não a sua utilização;
- colocar à disposição do público a obra, na forma, local e pelo tempo que desejar, cobrando ou não por isso;
- receber, no mínimo, 5% sobre o aumento do preço em cada revenda de obra de arte ou manuscrito original.

Depois de 70 anos da morte do autor a obra passa ao domínio público e aí cabe ao Estado defender sua integridade e autoria, assim como das obras de autores falecidos sem herdeiros e das de autor desconhecido. Se o autor tiver revisto e dado à obra sua versão definitiva, os herdeiros não podem reproduzir versões anteriores. O cônjuge não tem direito sobre as obras do autor, apenas sobre a sua exploração, salvo se houver pacto antenupcial em contrário.

Tratando-se de obra anônima, aquele que a publica exerce os direitos patrimoniais de autor.

Ninguém pode reproduzir obra que não pertença ao domínio público sem permissão do autor, nem mesmo a pretexto de comentá-la ou melhorá-la.

Endereços para registrar obras literárias, Websites e músicas com ou sem letra

Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Rua do Passeio, 98 - Lapa
Rio de Janeiro (RJ)
CEP 20021-290 - (21) 2532-4649

Escritório de Direitos Autorais (EDA)
Rua da Imprensa, 16 - 12º andar ? sala 1.205 - Palácio Gustavo Capanema ? Castelo
Rio de Janeiro (RJ) - CEP 20030-120
(21) 2220-0039/2262-0017/2240 9179

Fundação Biblioteca Nacional
Av. Rio Branco, 219
Rio de Janeiro (RJ)
CEP 20040-008 - (21) 3095-3879

Representações estaduais

Biblioteca Estadual Elcy Lacerda
Rua São José, 1800
Macapá (AP) - CEP 68900-110

Biblioteca Pública do Estado da Bahia
Rua General Labatut, 27 - 3º andar ? Barris
Salvador (BA) CEP 40070-100

Biblioteca Demonstrativa de Brasília ? BDB
EQS 506/507 - Asa Sul
Brasília (DF) - CEP 70350-580
(61) 443-5669/443-0852/443-5682

Universidade Federal do Espírito Santo
Av. Fernando Ferrari, s/n - Goiabeiras - Vitória (ES)
CEP 29060-900
(27) 335-2370/335-2375

Biblioteca Pública do Estado de Minas Gerais
Praça da Liberdade, 21 - sala 303 ? Funcionários
Belo Horizonte (MG) - CEP 30140-010
(31) 3269-1166 ? Ramal: 110

Universidade de Cuiabá
Av. Beira-Rio, 3.100 - Bloco F Jardim Europa
Cuiabá (MT) CEP 78015-480
(65) 615-1261/615-1176/615-1177

Biblioteca Pública Estadual Presidente Castelo Branco
Rua João Lira, s/n ? Santo Amaro
Recife (PE) - CEP 50050-550
(81) 3423-8446

Biblioteca Pública Câmara Cascudo
Rua Pontengi, 535 - Bairro Petrópolis
Natal (RN) CEP 59020-030
(84) 221-6153

Universidade do Estado de Santa Catarina - Reitoria
Av. Madre Benventura, 2007 Itacorubi - Florianópolis (SC)
CEP 88035-001
(48) 231-1590

Universidade Federal de Sergipe - Biblioteca Central
Cidade Universitária Prof. José Aluísio de Campos
São Cristóvão (SE) CEP 49100-000
(79) 212-6521/212-6528
Em São Paulo (SP)
Alameda Nothmann, 1058 - Campos Elíseos CEP 01216-001
(11) 3826-0044/3825-5249

Universidade do Estado do Rio Grande do Sul - Biblioteca Central
Av. Paulo Gama, 110 - Térreo
Porto Alegre (RS) CEP 90040-060
(51) 316-3402

Universidade Federal do Pará
Campos Universitário do Guamá - Prédio da Reitoria
Av. Augusto Corrêa, 1 - 2º andar Belém (PA) ? 66075-900
(91) 211-1436

Biblioteca Pública do Paraná
Rua Cândido Lopes, 133 - Centro
Curitiba (PR) - CEP 80020-901
(41) 322-9800/224-0575
Ramais: 4865/4866

Se precisar de profissional habilitado para desempenhar a função,

contate com a gente, estaremos a disposição para proteger seu bem marcario.



Fonte: Agência Senado/Jornal do Senado
Publicação Ano IV n0 130 - Especial Cidadania
Brasília,10 a 16/07/2006


Share by: